Share
twitterlinkedinfacebook
Amair Feijoli da Cunha, o Tato, acusado de ser o intermediário no assassinato de Dorothy Stang é julgado e condenado a 18 anos de prisão. 2006